O universo feminino a descoberto...

27
Mar 09

Todos nós já passamos por aquela situação chata de ter de contactar uma empresa por causa de um produto que nos venderam ou de um serviço qualquer prestado.

A verdade é que a maior parte das vezes não somos bem tratados.

São minutos intermináveis em espera a ouvir uma musiquinha ranhosa qualquer, depois passam-nos de assistente para assistente, depois pedem-nos todos os dados e mais alguns e quando por fim, já não há mais nada a fazer, o defeito é do cliente! Ou é do nosso telemóvel, ou é do nosso pc, ou é do nosso satélite, ou é da zona onde moramos....enfim, é de nos deixar com os cabelos em pé!

Como futura profissional de comunicação, estas coisas não me deixam de modo nenhum indiferente.

Uma empresa, uma marca, se quer marcar presença no mercado, se quer ganhar notoriedade, se quer diferenciar-se, se quer conquistar clientes e, sobretudo, fidelizar os que já tem, tem de ter em atenção todos os "pormenores". Toda a comunicação tem de ser cuidada, desde o lançamento do produto/serviço, passando pela comercialização até à assistência pós-venda. Nada pode ser deixado ao acaso, a comunicação tem de ser integrada.

Falando por mim, sempre que sou mal atendida dá-me sempre vontade de trocar de produto/serviço.

Para além do mais, um cliente não satisfeito é sinónimo de má publicidade, o que é péssimo para uma empresa/marca. Muitas vezes essa publicidade negativa causa dados profundos na confiança dos consumidores e, que como já se sabe, trocam impressões negativas sobre a empresa/marca com outros possíveis consumidores, acabando por se criar uma bola de neve gigante!

E eu sou uma dessas "cliente tipo", se não gosto digo logo a toda a gente, mas se gostar da forma como foi tratada também faço questão de divulgar.

É para isso que estou aqui hoje, para falar dos casos com que tenho lidado directamente.
Ao longo destes 3 anos de licenciatura, frequentemente temos de contactar diversas empresas para realizar alguns trabalhos. Umas vezes temos sorte e outras não.
 
OS +
 
  • VODAFONE: simplesmente impecáveis, a 101%...nunca vi nada assim! Mandei mail na terça, responderam-me no mesmo dia a pedir o meu número para ligarem para mim. No dia seguinte ligaram-me e foram super simpáticos! Hoje recebi em casa o dvd com os spots de TV que pedimos, assim como todos detalhes da produção dos mesmos, as publicidades na imprensa e os spots na rádio. 
  • IMPETUS: contactei esta empresa por duas vezes para dois trabalhos diferentes e sempre se mostraram muito disponíveis, fornecendo todo o tipo de informação necessária. Para além disso, aceitaram receber-nos nas suas instalações para uma reunião formal. Foram muito atenciosos e fizeram-nos sentir muito bem.
  • BOM PETISCO: por e-mail não responderam a nada mas depois por telefone foram muito atenciosos. Até enviaram pelo correio azul um dvd com spots de TV, para que chegasse a tempo da entrega do trabalho.
OS -
  • MILANEZA: Tentei contactá-los várias vezes e nunca se dignaram a responder a um simples mail. Afinal de contas eu só pedia algumas informações simples...
  • VAQUEIRO: Esta passou-se com a Bárbara. A Vaqueiro só respondeu aos sucessivos contactos dela meses depois. Imaginem vocês que nessa altura ela já tinha entregue o trabalho, já tinha a nota do mesmo! Não lhe forneceram as informações que ela pediu e ainda lhe desejaram boa sorte para o trabalho! Que lata!
  • EDP: Até dá nervos de pensar!!!!!!!!! Uma empresa de tão grande dimensão gere pessimamente a comunicação. Nós caímos na asneira de participar num concurso lançado por eles, achando que íamos aprender muita coisa. Pois...como eram muitos participantes, estabeleceram um prazo muito curto para colocarmos questões. E nós, assim o fizemos na altura indicada. Responderam-nos aquando do fim prazo de entrega dos trabalhos, dizendo para consultarmos o site da EDP. Por amor de Deus! Mais: para sabermos se ganhamos alguma coisa éramos obrigados a ir a Lisboa à cerimónia de entrega dos prémios e lá, saberíamos na hora. Como é lógico ninguém iria a Lisboa de propósito sem saber se valia a pena. A professora contactou com eles, explicou a situação mas eles disseram que isso estava contemplado no regulamento. Tempos depois pedimos que nos enviassem pelo menos os certificados de participação, ao que nos responderam "Venham aos nossos escritórios a Lisboa buscá-los". Grandes palhaços!!! Só depois de nos chatearmos muito eles decidiram enviar os certificados para a casa do porta-voz de cada grupo! Aleluia! Com a EDP não quero mais nada!
Bem, esta lista seria infinita mas acho que já dá para perceber a ideia, o atendimento ao público ainda deixa muito a desejar...
_______________________________
Tânia
elasequesabem às 15:07
elas sentem-se: misteriosa

26
Fev 09

Acabo de ver o ‘Aqui e Agora’, um programa da SIC, onde o tema de discussão foi a educação sexual nas escolas.

 

Eu sou completamente a favor!

 

Passo a justificar-me:

 

- Sabe-se que os rapazes na adolescência procuram e conhecem prazer sexual mais sedo pela exploração instintiva do corpo e pelo recurso à pornografia.

 

As raparigas ficam em desvantagem devido ao seu desconhecimento.

 

Muitas têm a sua primeira relação sexual para pura satisfação do parceiro, sem saberem que elas também tem direito a essa mesma satisfação. Desconhecem o seu corpo e o que é realmente uma relação sexual.

 

- Por outro lado, fala-se muito das DST (doenças sexualmente transmissíveis) mas não se diz nada! Porque é que se transmite? Como exactamente?

 

Duvido que estas adolescentes que começam agora a explorar a sua sexualidade saibam que o risco de contracção do cancro do colo do útero aumenta com o número crescente de parceiros sexuais. Talvez este facto as tornasse mais apreensivas a terem relações sexuais prematuramente.

 

Aliás, na minha opinião, a prematuridade da vida sexual deve-se maioritariamente, se não quase exclusivamente, ao desconhecimento que têm do que é a relação sexual.

 

 

- Assim, mais conhecimento sexual, menos gravidez na adolescência. E também menos casos de violência no namoro. Pois, perceber este mundo, seria evitar que tantas jovens se submetessem a torturas ridículas que consideram que o amor é mesmo assim.

 

 

- Esta disciplina também possibilitaria o aumento do respeito pela orientação sexual. Mais uma vez, conhecer é perceber e compreender, e assim também é respeitar.

- E ainda o facto de aumentar a capacidade de defesa perante violações sexuais.

 

 

Gostaria que um dia, os meus filhos tivessem acesso a esta educação.

Os pais não são os únicos educadores.

E todos sabemos que este é um tema muito mais facilmente abordado junto de pessoas desconhecidas.

 

Defendo a aplicação da educação sexual nas escolas acima de tudo por ser mulher e ter observado inúmeros casos de jovens raparigas que se soubessem o que se calhar eu hoje sei porque descobri sozinha, não cometeriam metade dos seus ‘erros’.

 

Eu preferia ter tido acesso a uma educação sexual esclarecedora!

___________________________________________

Bárbara Ferreira

 

elasequesabem às 22:07
elas sentem-se: Reivindicativa

06
Fev 09

Hoje dia 6 de Fevereiro de 2009, é o dia em que se assinala o Dia Internacional de Tolerância Zero à Mutilação Genital Feminina (MGF).

 

Confesso que nem tenho palavras para descrever o que sinto ao falar neste tema.

 

Como mulher é-me doloroso só de pensar o sofrimento a que milhares de mulheres são submetidas por culpa de pensamentos e tradições machistas.

 

 

Calcula-se que 100 a 140 milhões de meninas e mulheres em todo o mundo já tenham sido submetidas à chamada mutilação genital, e mais 2 milhões 'corram o risco' de passar por esse procedimento a cada ano.

 

A remoção do clitóris é comum em 28 países da África, além de regiões do Oriente Médio e da Ásia.

 

“No site da OMS há breves explicações sobre as razões que motivam a mutilação genital: serviria para garantir a virgindade das mulheres até o casamento e assim valorizá-las; as partes sexuais seriam removidas por razões de assepsia, ou ainda para diminuir o desejo sexual feminino - o que manteria as mulheres fiéis no casamento. Motivos religiosos são também brevemente citados.”

 

 

 

Depois de uma breve pesquisa na internet, deixo-vos apenas aqui alguns sites, já que não tenho mais palavras perante este assunto que não sejam de insultar estas pessoas sem escrúpulos.

 

Vejam na wikipedia, em ponte margem, num site sobre as mulheres, em opinião notícia, num dossier disponibilizado pelo Público e finalmente no Kamasutra.

 

__________________________________________

Bárbara Ferreira


03
Fev 09

“Traição, como uma forma de decepção ou repúdio da prévia suposição, é o rompimento ou violação da presunção do contrato social (verdade ou da confiança) que produz conflitos morais e psicológicos entre os relacionamentos individuais, entre organizações ou entre indivíduos e organizações. Geralmente a traição é o acto de suportar o grupo rival, ou, é uma ruptura completa da decisão anteriormente tomada ou das normas presumidas pelos outros.”

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Trai%C3%A7%C3%A3o

 

Até que ponto consideramos?

Até que ponto suportamos?

Até que ponto perdoamos?

A forma mais ‘falada’ de traição é entre o casal. Poderá ter explicação a traição neste contexto?

Para mim…traição é a violação da confiança que só traz desilusão.

E para vocês?

_____________________________________________

Bárbara Ferreira

elasequesabem às 20:30
elas sentem-se: desiludida

30
Jan 09

Até onde levamos a sério o que dizem de nós?

Até onde somos capazes de suportar uma crítica?

Até onde queremos saber o que dizem?

Até onde acreditamos?

Até onde somos fortes?

Até onde somos capazes de seguir em frente?

O orgulho dever ser mantido ou posto de lado?

Apenas não digam o que não se é suposto saber.

As minhas costas ficam atrás de mim, e não passo a vida a olhar para elas através do espelho, nem sei se quero voltar a faze-lo.

 

elasequesabem às 17:50
elas sentem-se:

25
Jan 09

Se há coisas que me irritam são pessoas a lamentar-se que estão com gripe, quando não passa de uma constipação.

Para tirar dúvidas a todos os nossos leitores aqui está um quadro explicativo:

Gripe vs Constipação

Sintomas

Constipação

Gripe

Febre Raramente Elevada; durante 3-4 dias
Dor de cabeça Raramente Forte
Dor no corpo Ligeira Frequentemente; por vezes intensa
Fadiga, fraqueza Ligeira Pode durar 2-3 semanas
Exaustão Nunca Intensa e surge no início da doença
Nariz entupido Frequentemente Por vezes
Espirros Frequentemente Por vezes
Garganta inflamada Frequentemente Por vezes
Tosse, sensação de "peso" no peito Ligeira a moderada; tosse seca Frequente; pode tornar-se grave
Complicações Congestão dos seios nasais ou dor de ouvidos Bronquite, pneumonia; eventualmente fatal
Prevenção Nenhuma Vacinação anual - medicamentos antivíricos (consulte o médico)
Tratamento Alívio temporário dos sintomas

Medicamentos antivíricos (consulte o médico)

http://www.roche.pt/sites-tematicos/gripe/index.cfm/gripe/gripe-e-constipacao/

 

 

__________________________________________________

Bárbara Ferreira

elasequesabem às 16:57
elas sentem-se: constipada

13
Jan 09

Hoje vivi, novamente, mais um momento deprimente no hospital bracarense. Sempre que lá vou é impossível regressar minimamente bem-disposta.

Desta vez tive de me dirigir ao médico-legal para fazer uma perícia, e nem imaginam o degredo.

Tive de entrar por um local todo em obras para depois andar às voltas e, por fim, chegar a um gabinete.

Na ‘pseudo’ recepção estavam duas senhoras a atender os utentes. E chamo-lhe ‘pseudo’ recepção pelo tamanho minúsculo que se tornava até absurdo de tão apertado. Eu se trabalhasse ali com certeza que estava com ataques de claustrofobia de 2 em 2 minutos. Condições demasiado desumanas de trabalho, num local onde supostamente se “dá” saúde às pessoas, e onde esta não deveria ser tirada.

Como se isto não bastasse, o consultório onde aconteceu a perícia era minúsculo, e cujas escadas de acesso, alem de enormes, estavam ocupadas com um escadote e dois senhores a trabalhar naquelas obras. Se fosse supersticiosa a coisa ia ser difícil, pois tive de me baixar e passar por baixo desse escadote.

Mas, o ridículo ainda não termina enquanto não contar este último facto. Num documento que é de carácter legal e judicial, pertencente á medicina forense, detectei um erro extraordinário no cabeçalho deste: “… direito cível..”. Pelos vistos, os senhores doutores professores de medicina legal forense não sabem escrever ‘civil’ em vez do errado ‘civel’.

Estava constantemente a olhar para as folhas e cheia de vontade de pegar num corrector e modificar aquela palavra. Logo eu, que até nem escrevo na perfeição, e não costumo nada ser perita a detectar erros. Enfim…

Voltei para casa com uma grande vontade de fazer as malas e sair deste país. Mas como dizia o Camilo “Lá fora tá-se pior. Tá-se tá-se….tá-se…”

Ou não…

___________________________________

Bárbara Ferreira

 

elasequesabem às 18:10
elas sentem-se:

Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
12
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Frase do dia
"A mulher é uma substância tal, que, por mais que a estudes, sempre encontrarás nela alguma coisa totalmente nova." Léon Tolstoi
mais sobre Elas
pesquisar
 
blogs SAPO