O universo feminino a descoberto...

21
Set 09

Lembram-se daquela atleta sul-africana que ganhou a medalha de ouro dos 800 metros nos mundiais de atletismo de Berlim e que estavam a dizer que afinal podia ser bem de uma mulher que se tratava?

Criou-se um movimento de indignação “só porque a atleta corre e bem já tem de ter genes masculinos”!

Pois bem… a verdade é que não tem ovários nem útero, mas tem testículos internos.

É uma pseudo-hermafrodita!

Sinceramente, não foi por isso que ela ganhou, mas sim pelo treino exaustivo, pelo esforço feito ao longo do tempo para desenvolver as suas capacidades e o esforço no momento para passar a perna às outras senhoras.

Que testículos, quais testículos!

Eu se treinar para isso, de certeza que passo a perna a um portador de testículos que não esteja com preparação para uma bela de uma corridinha!

Essa é que é essa!

Por isso, não tirem o prémio à senhora, pois ela trabalhou para isso!

E tenho dito!

Obrigado

 

___________________

Bárbara Ferreira

elasequesabem às 10:10
elas sentem-se: muito sono

comentários:
também concordo consigo...pode até ser afrodita, mas sempre viveu como mulher e se não fosse a atleta frangote, ela não passaria pela humilhação ao fazer o teste para defender a sua pessoa.
tendo testiculos ou não ela é mulher...
a mãe natureza tem dessas coisas e ela não merece ser penalizada por isso.
petálas a 22 de Setembro de 2009 às 14:06

Vc se engana, todos os médicos e cientistas sem excessão, definem que um homem ou uma mulher biológica não está definida nos orgãos sexuais externos e sim internos. Portanto, trata-se querendo ou não de um homem biológico. Mesmo com uma vagina, a sua reprodução descendente será através dos testiculos.
Carlos a 29 de Agosto de 2013 às 22:22

A questão não é assim tão simples e tão linear... Não se trata de se ser hermafrodita ou pseudo-hermafrodita ou de se ter ou não testículos, como tu dizes. A polémica surge pelo facto de ela, fisicamente, apresentar características físicas que a colocam, logo de início, em vantagem em relação às adversárias.
Basta olhar para o corpo dela para perceber que, a nível muscular, ela tem um 'arcaboiço' muito superior, logo o seu rendimento será sempre muito superior. Ora se, no judo, existem regras e exigências quanto ao peso, por exemplo, é natural que no atletismo também exista um 'standard'. Ela não se encaixa em nenhuma categoria de uma atleta feminina porque tem elevadíssimos níveis de testoterona. A polémica está neste aspecto.
Se era uma causa natural (ser hermafrodita) ou se foi induzido (pela toma de medicamentos), era a dúvida!
Anónimo a 22 de Setembro de 2009 às 14:31

Concordo com este último comentário... com estas características genéticas, até poderia trabalhar 2h diariamente, que o seu nível muscular e capacidade de acção e reacção seriam superiores ao de um organismo feminino, por mais horas e esforço dedicasse diariamente. Ou seja, um dia destes, teríamos apenas hermafroditas a competir em provas femininas, dado que estariam sempre em vantagem...
Mariana a 22 de Setembro de 2009 às 16:34

Exactamente! E, por isso mesmo, é que esta situação está a criar polémica e a levantar questões complicadas!
Não se trata de preconceito, mas de perceber que tem de haver igualdade e honestidade na forma como se compete.
Mais. Ignorar seria abrir um precedente que, como tu dizes, iria permitir, no futuro, a entrada de determinadas atletas com determinadas características...que, curiosamente, pela sua ambivalência, poderiam encaixar-se em diversas categorias... As competições desportivas passariam a ser uma fraude.
Anónimo a 24 de Setembro de 2009 às 23:23

já uma gaja não pode ter "tom#tes".....
RUIM a 22 de Setembro de 2009 às 16:42

Desculpem...de repente vislumbrei uma srª pequenina, franzininha, mais para bailarina de caixa de música do que atleta...não sei se será do vosso tempo, até porque ela SÓ ganhou uma maratona olímpica...como é que se chama...e pá, não me lembro...ah sim...Rosa Mota!
Vá lá...então é o arcaboiço? é a testosterona? é mas é a dedicação e o trabalho...se daqui a nada aparece uma mulher "normalíssima" a superar as médias desta em pista, vão-lhe perguntar onde é que deixou a nave, pois não pode ser de cá, certo?
Vá lá...uns são bons numas coisas , outros noutras e tantos em nenhuma...
deixem lá a "mulher " , que sempre o foi , ficar com o que ganhou...livra!
mimi a 23 de Setembro de 2009 às 10:54

A comparação que fazes não tem qualquer sentido! Um disparate! A Rosa Mota, fisicamente, não apresenta qualquer característica que a distinguisse das restantes adversárias. Se na maratona ela conseguiu superar as outras, fê-lo por mérito, pelo intenso trabalho e esforço que empreendeu. E a sua vitória é inquestionável.
No caso particular que estamos a discutir, levanta-se a dúvida se se trata de um homem ou de uma mulher! Tão simples quanto isto! E quando falo em 'arcaboiço' é precisamente nesse sentido. Basta olhar para os corpos das adversárias da Rosa Mota (para me socorrer, novamente, do teu exemplo) e ver que não há diferenças significativas. Todas elas se inserem na mesma 'categoria' (peso semelhante, massa muscular semelhante, altura semelhante, etc,etc.).
A Semenya não! Análises feitas antes da competição (e posteriormente) revelaram que ela tinha valores excessivamente elevados de testoterona (e que continua a produzir), o que desde logo indica que ela, fisicamente, tem um corpo mais próximo do de um homem. Compreendes agora?!
Medicamente é esta a explicação. É por isso que as pessoas que são hermafroditas, em determinada altura da sua vida, têm de optar por um dos sexos, uma das identidades. E há sempre uma que prevalece sobre a outra.
Neste caso particular, tudo esteve envolto em secretismo e mistério, até se vir a saber que, afinal, ela, na juventude e infância, pelos vistos, sempre se questionou ela própria sobre a sua sexualidade.
Não se trata de preconceito, mas sim de honestidade desportiva e de igualdade.
Ela não é nenhuma coitadinha e por isso também não compreendo o 'movimento' que se gera para a defender.

P.S. Outra nota: as atletas de maratona, geralmente, são bem mais magras do que as atletas de outras provas de atletismo. Basta ver que muitos dos títulos ganhos em maratona foram para países como a Somália, por exemplo...e escuso de explicar a minha observação. Para bom entendedor, meia palavra basta.
Anónimo a 24 de Setembro de 2009 às 23:36

Peço imensa desculpa se fui tão leiga a ponto de ferir alguma susceptibilidade.
Erradamente pensei que "opinião" era isto mesmo, pura e duramente.
"A comparação que fazes não tem qualquer sentido! Um disparate"
Prometo não voltar a disparatar em assuntos tão anatómica e ergonomicamente aquém dos meus conhecimentos .
Ah...e sim...é bem possível que não seja um bom entendedor...há desenhos????
mimi a 22 de Outubro de 2009 às 14:53

Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
17
18
19

20
24
25
26

27
29
30


Frase do dia
"A mulher é uma substância tal, que, por mais que a estudes, sempre encontrarás nela alguma coisa totalmente nova." Léon Tolstoi
mais sobre Elas
pesquisar
 
blogs SAPO